INB faz 25 anos

Nos últimos 25 anos, o mundo se transformou radicalmente. Na virada do milênio, a ciência avança como nunca. Quem imaginaria, em 1988, impressoras em 3D, órgãos para transplante criados em laboratório, pesquisas em genética e nanotecnologia prometendo novas possibilidades de prevenção e cura de doenças? Em todas as áreas da vida, recursos tecnológicos tornaram o dia a dia mais fácil.

Estamos todos conectados. A informação nunca foi tão livre e disponível, democratizada pela rede. O Brasil de 1988 ainda não havia retomado as eleições diretas para presidente. É até difícil imaginar esse quadro, frente à democracia plena que hoje é a realidade. Para muitos de nós, os mais velhos, aquele período ainda está fresco na lembrança: parece que foi ontem aquela marcha dos caras-pintadas. Quem se lembra da vida sem celular e sem computadores – muito menos internet? O fax era a grande novidade! Ainda não se falava em buraco de ozônio, reciclagem, sustentabilidade, informações e conceitos que estão hoje em lugar de destaque em nosso cotidiano.

Naquele distante 1988, nascia a INB, das estruturas da antiga Nuclebrás. A missão central da nova empresa era dar impulso tecnológico e avançar decisivamente na mineração e no processamento do urânio. Naquele ano, seria promulgada a nova Constituição, a única no mundo, que, preto no branco, direciona o uso de energia nuclear exclusivamente para fins pacíficos.
Nesse presente 2013, vemos que o rio da História correu em sintonia com essa missão: o uso pacífico da energia nuclear faz avançar o conhecimento e promove melhorias na qualidade de vida dos cidadãos. Estamos na pesquisa científica, na medicina, na agricultura e nas diversas áreas da engenharia. Milhões de lares brasileiros são abastecidos pelas usinas de Angra, com a energia gerada pelo combustível que fabricamos com a qualidade e a segurança requeridas por organismos nacionais e internacionais. Exploramos nossas riquíssimas reservas, produzimos o combustível das usinas e enriquecemos o urânio; estabelecemos e cumprimos metas socioambientais e no aprimoramento da infraestrutura nas regiões onde atuamos.

E, principalmente, nós somos hoje uma empresa erguida e mantida por laços de eficiência, solidariedade e valores humanos. Uma empresa contemporânea, feita por cada um dos seus empregados. Passado um quarto de século do dia 31 de agosto de 1988, celebramos as Indústrias Nucleares do Brasil no sucesso dessa turma. Parabéns para todos nós!

COMPARTILHE NAS MÍDIAS SOCIAIS:

Galeria de Imagens